Notícias

06/07/2015
admin

Mamãe Prática

Que o universo infantil nos inspira não é novidade não é mesmo?

E ainda bem, pois assim outros espaços vão surgindo. Olha que site mais gostoso, cheio de dicas e fofurices daquelas de soltar um grande: Wonnnn!

Confiram o site e face das irmãs Fabi Fontainha e Mari Branco, o Mamãe Prática. Lindo!

Nova Imagem

 

04/07/2015
admin

A festa do jeito que sonhou!

Isabella Ciampaglia, idealizadora do Cheers Off, evento direcionado para o mercado de casamento, uniu os conhecimento de Ana Luisa Oliveira que trabalhou durante sete anos com Gestão de Suprimentos, para criar o Cheers Kids. O objetivo do evento é o mesmo do criado por Isabella, possibilitar para o cliente (neste caso, os pais) fechar em um único espaço, todos os serviços necessários para qualquer comemoração do meio infantil (aniversários, batizados etc) tendo como diferencial um preço ou um benefício exclusivo ofertado pelos expositores.

A primeira edição do Cheers Kids foi realizada em março deste ano e contou com 25 fornecedores de diferentes áreas, como o Estação Felycidade, Mãe me Quer, Fabiana Moura e Sweet Carolina, Dani Pacces Fotografia, Loja Pinni, Fadas Madrinhas, entre outros, além do apoio da marca FOM, fraldas Capricho e da jornalista Daniela Folloni (diretora de conteúdo do site It Mae que faz parte do portal UOL Mulher), que fez o lançamento do It Mãe Conecta.

Para a próxima edição, em setembro (dias 25, 26 e 27 de 2015) o evento irá possibilitar ao convidado observar como os expositores apresentam seus serviços e produtos. Isso acontecerá porque os stands serão criados como uma festa completa, permitindo a vivência real do que as empresas oferecem. A outra novidade será uma parceria inédita com blogs infantis, onde cada mãe, fundadora do blog, será homenageada na criação destes diferentes espaços, mostrando ao publico como elas organizariam a festa de seus filhos. Mais informações: off@cheers.com.br

cheerskids

foto divulgaçao: Cheers

 

04/07/2015
admin

Gustavo, você Fala Cada Uma! Seu Lindo! <3

Um menino de apenas 10 anoz de idade deu uma aula de cidadania. Escuta o que o Gustavo Gomes Silva dos Santos, aluno do CEU Vila Curuçá em São Paulo. A equipe da Rede TVT o conheceu durante as atividades do “Leituraço” de contos africanos e afro brasileiros promovido pela prefeitura de São Paulo. Assista o que ele tem a dizer sobre a importância da ação no combate diário ao racismo. Clique Aqui!

Nova Imagem

19/09/2013
Iza Franca

Vamos para a cozinha?

Quem disse que criança não pode cozinhar? Desde que supervisionados por um adulto, não só pode como deve. Além de promover momentos de confraternização com a família, a culinária desperta na criança o senso de responsabilidade e prazer nos alimentos.

A chef mirim mais famosa do Brasil, Rebeca Chamma, dá uma mãozinha para tornar esse momento mais especial e saboroso. Ela acaba de lançar seu segundo livro – “Festa da Rebeca – Receitas deliciosas para muita diversão.”

O livro traz receitas exclusivas que podem ser preparadas pelas crianças com auxílio de um adulto. São seis festas completas: Halloween, Festa Junina, Piquenique, Sessão de Cinema, Chá de Boneca e Festa do Pijama, com salgados, doces e bebidas, para a criançada chamar os amigos em casa, brincar e cozinhar.

Para cada festa, Rebeca apresenta seis receitas, um roteiro completo para ajudar as crianças na hora do preparo e uma receita extra elaborada pela nutricionista Dra. Sheila Mustafá, com o objetivo de manter a garotada saudável.

E então se animou? Escolha sua receita e mãos às obras gastronômicas  - hummm!

O lançamento do livro “Festa da Rebeca – Receitas deliciosas para muita diversão.” –  Editora Laúde – aconteceu nesta quarta-feira (18/09/2013), no Buffet Planeta Kids da Vila Romana em São Paulo. Para decoração do evento, Rebeca escolheu o tema de uma das festas do livro: Halloween. Ficou lindo, que tal se inspirar!?

Guilherme França no lançamento do livro de Rebeca Chamma

23/06/2013
Iza Franca

Educação financeira nas escolas deve levar em conta universo infantil

Analisar as contas de energia de casa e elaborar um plano de redução de consumo e gastos para discutir com os pais são um exemplo de atividade proposta em livros de educação financeira usado nas escolas. A disciplina não faz parte do currículo oficial das instituições de ensino, mas vem ganhando espaço na rede privada de educação. A intenção é que os pequenos se tornem adultos que saibam lidar com o dinheiro, planejar os gastos dentro do orçamento disponível, ficar longe de dívidas e ter reservas financeiras.

“O estímulo não é para que as crianças queiram ser ricas, mas para que elas saibam lidar com o dinheiro no seu dia a dia. Isso fará com que elas tenham menos problemas financeiros, logo terão menos estresse e assim terão mais qualidade de vida”, explica o autor de livros de educação infantil para o ensino médio e especialista no tema, Álvaro Morelli.

Não há um consenso entre os especialistas sobre a idade ideal para que as crianças comecem a ter noções de educação financeira. Alguns defendem que o conteúdo deve entrar no currículo escolar já a partir da educação infantil, outros acreditam que o melhor é começar no ensino fundamental.

Para Morelli, o importante é que o conteúdo seja adequado à idade dos estudantes e trate de situações práticas da rotina das crianças e dos adolescentes para despertar o interesse e facilitar o aprendizado. “A educação financeira infantil não deve trazer assuntos de adultos para as crianças. É preciso falar de dinheiro relacionado a brinquedo, passeio, lanche e aí introduzir fundamentos de educação financeira”, defende.

Seguindo a tendência de interdisciplinaridade apontada pelo Ministério da Educação para o ensino, Álvaro Morelli explica que o ideal é que o tema não entre no currículo como uma disciplina isolada, mas seja trabalhada de forma transversal, inserida no conteúdo de matérias como matemática, história, artes e física.

Os especialistas explicam que a educação financeira deve ter uma temática ampla e abordar também o consumo consciente e ambientalmente sustentável. São orientações para as crianças cuidarem dos próprios brinquedos, do material escolar, apagar a luz ao sair do quarto e fechar a torneira enquanto escova os dentes.

Além do impacto que o aprendizado pode ter na vida dos jovens e crianças, quando os pais não têm uma situação financeira organizada, a orientação que os filhos recebem na escola pode fazer a diferença em casa. “Temos casos de pais saindo do endividamento depois que aprenderam educação financeira com os filhos. É um processo cíclico. Aliás, como foi a educação ambiental, como vai ser a educação para o trânsito”, diz o educador da consultoria  Dsop Educação Financeira Reinaldo Domingos.

A capacitação dos professores é outro elemento fundamental nesse processo. Em alguns casos, é preciso primeiro incorporar a educação financeira à vida dos professores, para que depois eles transmitam o conteúdo aos alunos, segundo Reinaldo Domingos. “O professor acaba assumindo para ele primeiro a educação financeira, para arrumar a vida e a da família dele, aí é treinando pedagogicamente para colocar esses ensinamentos para as crianças de forma ordenada”, diz.

Fonte:  Yara Aquino / Da Agência Brasil, em Brasília


20/06/2013
Iza Franca

Artistas de plantão…

Estou reunindo material para um projeto bem bacana, a publicação de um livro infantil, cujas ilustrações ficarão a cargo da interpretação de uma criança.

Por isso quero convocar aos pais, tios, tias, amigos que tenha ou conheça uma criança talentosa com o lápis de cor para participar de uma seleção.

Os desenhos serão avaliados e quem se sair bem será convidado para ilustrar o livro. Os interessados só precisam me mandar um e-mail izafranca1@gmail.com ou fale@criancafalacadauma.com.br contendo as seguintes informações: nome, idade e contato da criança e dos responsáveis.

Aí é só receber as orientações e colocar a imaginação para funcionar.  Que tal? Gostou da ideia? Participe!

22/05/2013
Iza Franca

Dicionário feito por crianças revela a adultos um mundo que já esqueceram

Um professor colombiano passou dez anos coletando definições de seus alunos e, como resultado, obteve um dicionário com verbetes ao mesmo tempo puros, lógicos e reais

São definições cheia de poesia e sabedoria, apesar da pouca idade de seus autores. Ou talvez por isso mesmo.

Vão desde A de adulto (“Pessoa que em toda coisa que fala, fala primeiro de si“, segundo Andrés Felipe Bedoya, de 8 anos), até V de violência (“A parte ruim da paz“, na definição de Sara Martínez, de 7 anos).
O dicionário está no livro “Casa das estrelas: o universo contado pelas crianças”, uma obra que surpreendeu ao se tornar o maior sucesso da Feira Internacional do Livro de Bogotá, no final do mês de abril. A surpresa aconteceu especialmente porque o livro foi publicado pela primeira vez na Colômbia em 1999 e reeditado no início desse ano.
“Isso me faz pensar que o livro continua revelando, continua falando sobre as pequenas coisas”, disse à BBC Mundo Javier Naranjo, que compilou as definições feitas por crianças colombianas.
“Eles têm uma lógica diferente, outra maneira de entender o mundo, outra maneira de habitar a realidade e de nos revelar muitas coisas que esquecemos”, diz.

São definições cheia de poesia e sabedoria, apesar da pouca idade de seus autores. Ou talvez por isso mesmo.Vão desde A de adulto (“Pessoa que em toda coisa que fala, fala primeiro de si“, segundo Andrés Felipe Bedoya, de 8 anos), até V de violência (“A parte ruim da paz“, na definição de Sara Martínez, de 7 anos).O dicionário está no livro “Casa das estrelas: o universo contado pelas crianças”, uma obra que surpreendeu ao se tornar o maior sucesso da Feira Internacional do Livro de Bogotá, no final do mês de abril. A surpresa aconteceu especialmente porque o livro foi publicado pela primeira vez na Colômbia em 1999 e reeditado no início desse ano.“Isso me faz pensar que o livro continua revelando, continua falando sobre as pequenas coisas”, disse à BBC Mundo Javier Naranjo, que compilou as definições feitas por crianças colombianas.“Eles têm uma lógica diferente, outra maneira de entender o mundo, outra maneira de habitar a realidade e de nos revelar muitas coisas que esquecemos”, diz.

É assim que, no peculiar dicionário, a água é uma “transparência que se pode tomar”, um camponês “não tem casa, nem dinheiro. Somente seus filhos” e a Colômbia é “uma partida de futebol”.

‘Outra visão do mundo’

As definições – quase 500, para um total de 133 palavras diferentes – foram compiladas durante um período “entre oito e dez anos”, enquanto Naranjo trabalhava como professor em diversas escolas rurais do Estado de Antioquía, no leste do país.

“Na criação literária fazíamos jogos de palavras, inventávamos histórias. E a gênese do livro é um dos exercícios que fazíamos”, conta ele, que agora é diretor da biblioteca e centro comunitário rural Laboratório do Espírito.

Ele diz que teve a ideia de pedir aos alunos uma definição do que era uma criança, em uma comemoração do dia das crianças.

“Me lembro de uma definição que era: ‘uma criança é um amigo que tem o cabelo curtinho, não toma rum e vai dormir mais cedo’. Eu adorei, me pareceu perfeita.”

“As crianças escolheram algumas palavras e eu também: palavras que me interessavam, sobre as quais eu me perguntava. Mas não fugi de nenhum”, afirma Naranjo.

No dicionário aparecem temas do cotidiano da Colômbia, como guerra e “desplazado”, pessoa que se desloca pelo país, geralmente fugindo de conflitos. Um dos alunos definiu a palavra criança como “um prejudicado pela violência”.

Aprender a escutar

Para a publicação, Naranjo corrigiu a pontuação e a ortografia das definições escolhidas, mas afirma não ter tirado nenhuma das palavras por “questões ideológicas”.

Por isso, o livro mantém a voz das crianças, com suas formas de explicar as coisas e construções gramaticais particulares. Bianca Yuli Henao, de 10 anos, define tranquilidade como “por exemplo quando seu pai diz que vai te bater e depois diz que não vai”.

O ex-professor diz que o respeito à voz das crianças também é parte do sucesso do livro, que foi reeditado em 2005 e 2009 e inspirou obras semelhantes no México e na Venezuela.

As vendas do livro ajudaram a financiar as atividades da biblioteca atualmente dirigida por Naranjo, que continua convidando as crianças a deixar a imaginação voar com outras dinâmicas.

“Nós adultos somos condescendentes quando falamos com as crianças e deve ser o contrário. Mais que nos abaixarmos temos que ficar na altura deles. Estar à altura deles é nos inclinarmos para olhar as crianças nos olhos e falar com elas cara a cara. Escutar suas dúvidas, seus medos e seus desejos”, diz.

Confira abaixo algumas definições

Adulto: Pessoa que em toda coisa que fala, fala primeiro dela mesma (Andrés Felipe Bedoya, 8 anos)

Ancião: É um homem que fica sentado o dia todo (Maryluz Arbeláez, 9 anos)

Água: Transparência que se pode tomar (Tatiana Ramírez, 7 anos)

Branco: O branco é uma cor que não pinta (Jonathan Ramírez, 11 anos)

Camponês: um camponês não tem casa, nem dinheiro. Somente seus filhos (Luis Alberto Ortiz, 8 anos)

Céu: De onde sai o dia (Duván Arnulfo Arango, 8 anos)

Colômbia: É uma partida de futebol (Diego Giraldo, 8 anos)

Dinheiro: Coisa de interesse para os outros com a qual se faz amigos e, sem ela, se faz inimigos (Ana María Noreña, 12 anos)

Deus: É o amor com cabelo grande e poderes (Ana Milena Hurtado, 5 anos)

Escuridão: É como o frescor da noite (Ana Cristina Henao, 8 anos)

Guerra: Gente que se mata por um pedaço de terra ou de paz (Juan Carlos Mejía, 11 anos)

Inveja: Atirar pedras nos amigos (Alejandro Tobón, 7 anos)

Igreja: Onde a pessoa vai perdoar Deus (Natalia Bueno, 7 anos)

Lua: É o que nos dá a noite (Leidy Johanna García, 8 anos)

Mãe: Mãe entende e depois vai dormir (Juan Alzate, 6 anos)

Paz: Quando a pessoa se perdoa (Juan Camilo Hurtado, 8 anos)

Sexo: É uma pessoa que se beija em cima da outra (Luisa Pates, 8 anos)

Solidão: Tristeza que dá na pessoa às vezes (Iván Darío López, 10 anos)

Tempo: Coisa que passa para lembrar (Jorge Armando, 8 anos)

Universo: Casa das estrelas (Carlos Gómez, 12 anos)

Violência: Parte ruim da paz (Sara Martínez, 7 anos)

Foto:divulgação

Fonte: pragmatismopolitico.com.br

12/12/2012
Iza Franca

Criança Fala Cada Uma! no programa Encontro-com Fátima Bernardes

O Criança Fala Cada Uma! foi a motivação de pauta e rendeu um bloco no último dia 27/08 no programa Encontro – com Fátima Bernardes da TV Globo. Participei como entrevistada convidada, ao lado da psicóloga Elizabeth Carneiro que deu dicas para responder as perguntas dos pequenos, a cantora Paula Toller do Kid Abelha, compositora da canção Oito anos e Evandro Mesquita que também compôs uma música para sua filha. A atriz Regina Duarte e o ator Marcos Oliveira (o Beiçola da Grande Família) também marcaram presença nesse dia. Clique aqui e confira parte da participação. Na íntegra só para assinantes da Globo.com

18/08/2012
Iza Franca

Atualize a caderneta de vacinação

Começa neste sábado em todo o país a primeira campanha de atualização da caderneta de vacinação infantil. A expectativa do governo é que até o dia 24 de agosto mais de 14 milhões de crianças menores de 5 anos compareçam aos postos de saúde.

O objetivo da ação, de acordo com o Ministério da Saúde, é ampliar a cobertura vacinal e reduzir o risco de transmissão de doenças. Estarão disponíveis todas as vacinas do calendário básico infantil, incluindo a pentavalente e a VOP (Vacina Inativada Poliomielite), lançadas este ano. A primeira reúne em uma única aplicação a tetravalente (que protege contra a difteria, o tétano, a coqueluche e a meningite) e a dose contra a hepatite B. Já a VOP é indicada para crianças que nunca foram imunizadas contra a pólio.

Cálculos do Ministério da Saúde indicam que aproximadamente 20% dos menores de 5 anos apresentam algum tipo de deficiência de vitamina A. A previsão é que, até o fim do ano, a distribuição do suplemento chegue a todos os municípios que fazem parte do Programa Brasil sem Miséria. Clique aqui para mais informações.

15/06/2012
Iza Franca

Pesquisa revela “hábitos e atitudes” de pediatras sobre as fórmulas infantis

A ResultaCNP®, empresa especializada em estudos e pesquisas, finalizou pesquisa idealizada pela Mead Johnson Nutrition que revela os “Hábitos e Atitudes de Pediatras”. O estudo, realizado com 100 profissionais dos estados de São Paulo e Rio de Janeiro, em novembro e dezembro de 2011, aponta os principais cuidados sobre a amamentação e quais nutrientes são os mais relevantes para o crescimento e desenvolvimento dos bebês, na opinião dos pediatras consultados.

100% dos médicos pesquisados apoiam e estimulam o aleitamento materno e na sua falta utilizam fórmulas infantis. “Não existe alimento melhor para o bebê do que o leite materno. Nele estão todos os nutrientes essenciais para o ótimo desenvolvimento da criança. Como profissionais, nossa missão principal é estimular e reforçar a amamentação”, explica o pediatra e nutrólogo Dr. Mário Cícero Falcão.

Perguntado aos pediatras quais nutrientes eles consideram mais importante nos primeiros meses de vida, 45% disseram ser o Ferro, 42% Proteínas, 39% DHA (ácido docosahexaenoico), 34% ARA (ácido araquidônico) e o cálcio foi mencionado em quinto lugar. “Ressalta-se que estes nutrientes têm impacto positivo no desenvolvimento neurológico da criança” como também informa o Dr. Mário Cícero Falcão.

Nutrientes mais importantes em uma fórmula infantil:

Indagados sobre a importância de cada nutriente citado por eles, 76% disseram que o Ferro é importante para evitar anemia; 26% que a Proteína é para o crescimento, 79% que DHA e ARA auxiliam no desenvolvimento mental e mais de 30% que DHA E ARA também auxiliam no desenvolvimento visual. Quase todos (93,3%) consideraram o cálcio importante para formação óssea.

Nutrientes Benefício
Ferro Evita anemia
Proteínas Auxilia no crescimento
DHA / ARA Auxilia no desenvolvimento mental e visual
Cálcio Ajuda na formação óssea

A importância do DHA e ARA é reforçada por diversas pesquisas no mundo que revelam os grandes atributos desses neuronutrientes. O estudo Drover, realizado em Dallas, Estados Unidos, que avaliou 229 lactentes, e utilizou o método Willats de avaliação da capacidade de resolução de problemas, provou que bebês que ingeriram DHA e ARA em níveis e proporções adequadas possuem desenvolvimento mental superior aos bebês que não receberam esses neuronutrientes.

O teste demonstra como lactentes alimentados com esses neuronutrientes, aos 9 meses, conseguem resolver facilmente problemas. Feito em 2 etapas, onde na primeira um brinquedo é apresentado a criança e posteriormente é escondido abaixo de um pano. As crianças que ingeriram as quantidades adequadas de DHA e ARA conseguiam rapidamente e sem perder a concentração na situação, levantar o pano descobrindo o brinquedo e agarrando-o, enquanto o outro grupo perdia o foco na ação e acabava não encontrando o brinquedo não resolvendo o problema proposto.

Já o estudo Diamond, realizado em Dallas e Kansas, Estados Unidos, comprova que DHA e ARA nos níveis e proporções adequadas são fundamentais para a maturação da acuidade visual e suas funções durante os primeiros meses de vida. O estudo realizado com 343 lactentes sadios, divididos em quatro grupos (cada um recebeu uma fórmula infantil com quantidade diferente de DHA), mostrou que bebês alimentados com uma fórmula sem DHA apresentaram, aos 12 meses de idade, uma acuidade visual significativamente menor do que os bebês que receberam uma das fórmulas com DHA e ARA. Sendo 0.32% de DHA e 0.6%de ARA os níveis suficientes para alcançar os benefícios desses neuronutrientes, níveis maiores que esses são desnecessários.

Exemplo dos resultados do estudo Diamond, na figura abaixo, a esquerda percebemos que bebês não alimentados com DHA e ARA são prejudicados na acuidade visual nos primeiros meses de vida, já os outros três grupos que receberam diferentes níveis e quantidade desses neuronutrientes mostram que dar mais do que o recomendado (0.32%) não faz diferença no desenvolvimento visual (imagem meramente ilustrativa).

Por fim, perguntados sobre os atributos mais importantes de uma fórmula infantil, os pediatras disseram o desenvolvimento mental (20,1%) em primeiro lugar, seguido por fortalecimento do sistema imunológico (11,7%) e ganho de peso e altura (10,9%).

Resumo dos principais resultados

  • Os pediatras consideram o Ferro (45%), Proteínas (42%), DHA     (39%) e ARA (34%) como os nutrientes mais importantes nas fórmulas infantis.
  • Bebês que recebem os níveis e proporções adequadas de DHA e ARA são favorecidos de desenvolvimento mental e acuidade visual.(conforme provado no estudo Drover e Diamond).
  • Com 20% dos médicos, o desenvolvimento mental é o atributo mais importante para os bebês. Seguido por fortalecimento do sistema imunológico (12%) e ganho de peso e altura (11%)
  • 79% mencionam que o DHA auxilia no desenvolvimento mental.

Metodologia: O método aplicado foi o descritivo de pesquisa, com foco quantitativo e coleta de dados por meio de entrevistas pessoais. Foram entrevistados 100 pediatras de São Paulo (capital e interior) e Rio de Janeiro (capital). A ResultaCNP® adotou recrutamento para selecionar amostra. Os médicos entrevistados atendem, em média, 372 crianças por mês em consultórios ou clínicas (70%), hospitais públicos (16%) e particulares (14%).

Sobre a Mead Johnson Nutrition

A Mead Johnson Nutrition – empresa fabricante de complementos alimentares e fórmulas infantis – foi fundada nos Estados Unidos há mais de um século e está presente em mais de 60 países, incluindo o Brasil, onde opera há mais de 50 anos. Sua missão é proporcionar a melhor nutrição no início da vida para as crianças do mundo inteiro, além de levar a seus consumidores todos os benefícios de uma nutrição de qualidade.

As fórmulas infantis da Mead Johnson têm a quantidade ideal dos ácidos graxos DHA e ARA, responsáveis pelo desenvolvimento cerebral e cognitivo da criança. Os mesmos componentes são encontrados, principalmente, no leite materno ou em fórmulas infantis, quando não há possibilidade de a mãe amamentar o filho.

Quer saber mais? Clique aqui!

Fonte: S2Publicom


Páginas:123»